Galinha caipira, galinha de capoeira ou caneludo é, na culinária brasileira, o termo usado para se referir ao galináceo doméstico criado solto em quintais e fazendas, em contraste com o de criação industrial ou de granja.

O que é galinha caipira?

As galinhas caipiras de verdade são originadas a partir daquelas que foram introduzidas no Brasil na época do descobrimento. Como vieram de vários lugares do mundo, apresentam diferentes cores de penas, portes e comportamentos distintos.

É comum vê-las sendo criadas soltas nos quintais, ciscando o tempo todo, na busca de insetos, minhocas, plantas e restos de alimentos.
Além de adaptarem-se bem ao clima quente são mais resistentes a algumas doenças. Sua carne e seus ovos são muito mais saborosos que os produzidos em granjas industriais e vendidos nos supermercados.
Por isso, mesmo sendo mais caras, têm a preferência de muitos consumidores.

Como escolher as galinhas para começar a criação?

Escolha entre aquelas aves já existentes no seu quintal ou na vizinhança, mas observe a idade, os hábitos, a mansidão, a produção, a beleza e a saúde.
Selecione fêmeas de 6 a 24 meses de idade que nunca tenham adoecido e que sejam:
• Boas poedeiras ou filhas de boas poedeiras.
• Boas criadeiras.
• Mansas.
• De bom tamanho.

Como escolher o galo?

O galo tem que vir de outra criação, mesmo sendo da mesma comunidade. Isso evita o grau de parentesco próximo entre as galinhas e o galo, prevenindo o nascimento de pintos fracos, com defeitos físicos ou pouco produtivos.

Escolha um galo:
• Filho de galinhas com boas qualidades.
• Esperto e valente.
• Com idade próxima à idade das galinhas.
• Nem gordo nem magro, mas que seja carnudo.

A criação se inicia com 1 galo e 12 galinhas. Se houver mais galinhas, o galo não
dá conta. Quando o número de galinhas é maior que 12 por galo, começam a aparecer
ovos que não chocam (inférteis), podendo levar a criação ao fracasso.